Benzetacil, comunicado a população

Compartilhe:

COMUNICADO IMPORTANTE SOBRE BENZETACIL

 

Atualmente, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), existem no Brasil quatro empresas com registro válido para produzir a penicilina benzatina, também conhecida como benzilpenicilina benzatina ou penicilina G benzatina. A Eurofarma, que produz o medicamento com nome comercial Benzetacil, a Fundação para o Remédio Popular (Furp), o Laboratório Teuto Brasileiro S/A e a Novafarma Indústria Farmacêutica LTDA.

 

Segundo a Eurofarma, detentora da principal marca do produto no Brasil, há cerca de dois anos, a empresa “se deparou com a escassez de matéria-prima para a produção da penicilina benzatina no mercado mundial”.

 

O laboratório esclarece que, no Brasil, existe uma dependência de fornecedores de insumo internacionais, já que o país não é um polo de química fina. O antigo fornecedor da matéria-prima para a Eurofarma fechou sua fábrica e o laboratório buscou um novo fornecedor, já homologado pela Anvisa. A empresa não informou o nome do fornecedor de matéria-prima. Segundo a Anvisa, essa informação “é confidencial da empresa detentora do registro do medicamento”.

 

“Com importação a partir de plantas na Áustria e China, o fornecimento de matéria-prima para a produção de Benzetacil passa neste momento por um processo de regularização de fornecimento, ainda com impacto no abastecimento”, afirmou a Eurofarma, em nota. A empresa ressaltou que a substituição de fornecedores no setor farmacêutico não é um processo simples, já que deve seguir critérios sanitários rigorosos.

 

Já o laboratório Teuto, que produz a penicilina benzatina de nome comercial Bepeben, afirmou, em nota, que a produção e distribuição da droga para o segmento hospitalar está "dentro da normalidade".

 

Segundo o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma), que representa boa parte das indústrias farmacêuticas do Brasil, o desabastecimento de penicilina é um problema mundial e a interrupção do fornecimento dos insumos para a produção foi repentina, o que originou o problema.
 

Em um esforço conjunto com a Anvisa e com o Ministério da Saúde, as empresas tomaram todas as providências para a qualificação de um novo fornecedor e trabalharam visando o restabelecimento do produto no mercado. 


No entanto, devido à falta de regularidade no fornecimento por este novo fabricante, mais uma vez, as empresas estão enfrentando dificuldades em abastecer a demanda total do mercado. Vale ressaltar que essa escassez não tem afetado somente o Brasil. A benzilpenicilina benzatina consta na lista de medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde, mas o fornecimento global da substância tem sido inconsistente. 

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que vem monitorando e acompanhando a produção nacional do medicamento ao lado dos laboratórios produtores, que alegam dificuldades na produção devido à “escassez mundial no suprimento de matéria-prima”.


Além disso, neste momento, é importante buscar a priorização do uso das unidades remanescentes nas indicações em que este medicamento é o tratamento de primeira escolha, sem outras alternativas, como é o de sífilis em gestantes e na prevenção de doença reumática.

 

INFORMO QUE O ESTOQUE DO MEDICAMENTO NÃO ESTA ZERADO, NO ENTANTO, O MEDICAMENTO SERÁ UTILIZADO, PRIORITARIAMENTE, EM CASOS DE SÍFILIS, SÍFILIS CONGENITA E FEBRE REUMÁTICA.
 

SITES RELACIONADOS

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/06/medicamento-usado-no-tratamento-da-sifilis-some-das-prateleiras-no-brasil.html

http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/jornal-do-almoco/videos/t/edicoes/v/falta-de-vacinas-e-remedios-atinge-todo-o-estado/4272736/

Atenciosamente;

Dra. Samara Cristina Brisola

Farmacêutica

CRF/SP: 59548